Você já pensou em ser cheerleader?

Você já pensou em ser cheerleader?

janeiro 24, 2018 Esporte 0

Costumamos ver as líderes de torcida associadas aos jogos e filmes norte-americanos. Entretanto, o que mais você sabe dessa modalidade esportiva? Para começar o termo correto do esporte é Cheerleading.

A brasiliense Luiza Brasiel, 22 anos, é atleta da modalidade e antes já praticava Saltos Ornamentais. Ela explicou como uma visita se transformou em paixão pelo esporte: “Eu estava meio cansada dos Saltos Ornamentais. Uma amiga minha que fazia cheer me convidou para ir em um teste e logo no primeiro dia eu me apaixonei pelo esporte”. Depois de algum tempo de destaque na capital federal, a vida dela começou a ter uma ponte aérea Brasília-Niterói, pois foi convidada para integrar a seleção brasileira.

Como todo atleta, Luiza Brasiel também luta por patrocínio e faz mobilizações nas redes sociais para conseguir verba para as competições. Os treinos (nos meses anteriores à competição mundial em Orlando/EUA) são realizados semanalmente em Niterói-RJ. “Já participei de nacionais e dois mundiais. Agora eu estou indo para o terceiro mundial, é incrível e indescritível. O problema é que é muito caro os custos pra ir competir. Gasto muito dinheiro para vir treinar e ir competir em Orlando. Não temos nenhum patrocínio e isso pesa bastante para todos os atletas”.

Benefícios do Cheerleading

A modalidade exige força e condicionamento. Com isso, a Luiza percebeu uma mudança no seu corpo. “Emagreci e ganhei alguns músculos. Fico animada para todos os treinos e muito disposta. Primeiro, nós treinamos na academia a parte de aeróbico e fortalecimento. Nos treinos de cheer a gente faz o aquecimento e depois começa a fazer todos os passos. São eles: elevações humanas, pirâmides, saltos e tumblings (estilo ginastica artística). Geralmente, os treinos duram 3h”, explicou.

Histórico

O Cheerleading começou, na Universidade de Princeton (New Jersey, EUA), em 1877. É reconhecido por 29 organizações norte-americanas. Entre eles, é reconhecido pelo Comitê Olímpico Internacional (COI). Entretanto, não tem liga profissional no Brasil ainda. Foi enviado e-mail ao Ministério dos Esportes pedindo mais informações sobre iniciativas para a modalidade, mas até o momento não houve resposta.

Segundo site da União Brasileira de Cheerleaders, em 2006, os atletas Wendel e Rodrigo (formados em Educação Física) decidiram conhecer o esporte (que já era expressivo no Chile) e implementar no Brasil. Hoje, as 22 equipes praticantes estão localizadas na região Centro-Oeste, Sudeste e Sul.

Como ainda é um esporte com pouco apoio no Brasil, a Luiza Brasiel deixou um recado aos interessados: “Recomendaria pesquisar um pouco mais sobre o esporte, e terem disposição em aprender todas as posições que existem no cheer, que é um esporte para todos os biotipos e todas as tribos”.

Você ficou curioso? Separamos alguns links de páginas do Facebook:

União Brasileira de Cheerleaders

Bluehell Cheerleaders EEL- USP 

Cheerleaders Medicina Macaé

Panthers All Stars Cheerleading 

Você conhece mais páginas ou grupos? Avise aqui.

 

Acompanhe o Blog nas Redes Sociais

Instagram @Blog_Prestencao

Twitter @Blog_Prestencao

Facebook Blog Prestenção

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *